Por que É Tão Difícil o Relacionamento com a Família?

Na verdade, não é que o relacionamento com a família seja difícil – todo relacionamento é difícil! Mas com a família tem a característica única de ser um relacionamento vitalício, queira ou não. É neste aspecto que o torno ao mesmo tempo difícil e tão valioso.

Relacionamento com a Família

O relacionamento é fundamental para o ser. Vivemos de conexão. A conexão é ato da alma, uma expressão necessária da vida. Mas vivemos agora encarnados, envolvidos em camadas de ilusão. Não é exagero dizer que cada humano está vivendo sua versão da realidade.

Um exemplo crítico disso é o que se chama na psicologia de viés de confirmação, ou simplesmente, tendência de confirmação. Com a palavra, Dr. Wikipedia: “Viés de confirmação, também chamado de viés confirmatório ou de tendência de confirmação, é a tendência de se lembrar, interpretar ou pesquisar por informações de maneira a confirmar crenças ou hipóteses iniciais. É um tipo de viés cognitivo e um erro de raciocínio indutivo. As pessoas demonstram esse viés quando reúnem ou se lembram de informações de forma seletiva, ou quando as interpretam de forma tendenciosa.” Em suma, vemos a realidade de acordo com nossa visão previamente concebida da mesma. Filtramos as informações para encaixar com nossas crenças sobre as coisas, pessoas, Deus e tudo mais.

Literalmente deixamos de ver coisas diretamente na nossa frente. O termo para isso é “cegueira inatencional”. É verdadeiramente impressionante. O exemplo mais famoso é deste vídeo. Se não viu ainda, vale a pena ver!

Aqui a instrução: conte quantas vezes os jogadores com camisa branca passam a bola.

Viu o resultado? Se não entendeu, me escreva que eu explico. Não quero estragar a surpresa aqui!

Tantas outras pesquisas como essa já foram feitas. Literalmente não conseguimos ver o que está fisicamente diante de nós. Imagine então sensações, emoções, conceitos, ideias, tendências, etc.?

Assim, é lógico que vamos ter uma tremenda dificuldade lidando com outras pessoas. Vivemos mundos diferentes.

O que acontece, porém, é que com outras pessoas, quando o relacionamento começa a desandar seriamente, descartamos o vínculo. Um colega no trabalho ficou chato, você para de falar com ele. Se você está trilhando já este caminho de auto-aprimoramento ou até mesmo o caminho espiritual – se tornou vegetariano, parou de beber e fumar, falar besteira – reparou que seus antigos amigos já não lhe procuram tanto ou até mesmo perdeu contato com eles.  Se isso aconteceu, agora encontrou ou busca novos amigos que estão mais em sintonia com você. Mesmo casamentos são considerados descartáveis hoje em dia. Amor por toda a vida, até que não.

Mas família não tem jeito! Então não é à toa que é tão difícil. Você é obrigado a manter o relacionamento. Mesmo que fique sem falar com a pessoa, ainda assim o relacionamento não deixe de existir!

Mas o lado bom é justamente esse: não podemos fugir do relacionamento. Vamos ter que aprender a viver ele bem. Como diz o ditado, teremos que “fazer do limão uma limonada”. Vamos ser forçados a ver o que tem de bom na pessoa, a perdoar os erros, a tentar servir sem apego e exercer muita paciência.  E tudo isso nos ajudará a crescer como pessoas. Tudo isso é parte de nosso programa de crescimento e transformação.

Então, se está tendo problemas com a família, aguente aí. Respire fundo e seja a melhor pessoa que possa ser. Aproveite o desafio para crescer.

Veja aqui meu vídeo sobre o tema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *