Para de Se Preocupar e Viva Sua Vida

A preocupação gera sofrimento e é um desperdício de tempo. Como podemos superar a preocupação? Aqui vamos ver técnicas testadas e simples de como vencer o sofrimento da preocupação e voltar a viver a vida.

Veja aqui meu vídeo sobre este tema.

Aqui vamos compartilhar dicas simples e eficazes para superar a preocupação, trazidas por Dale Carnegie, mais de 70 anos atrás.

Ele explica o que você já deve ter reparado: preocupação é desperdício de tempo total. As coisas se resolvem com pensamento racional e ação decisiva, não com mero sofrimento emocional.

Ele sugere 3 etapas para superar a preocupação. A primeira reduz a preocupação em 50%, a outra elimina mais 40% e a última etapa visa superar os 10% restantes, para lhe deixar 100% livre de preocupação.

1ª Etapa

A primeira etapa é escrever, detalhar, sua preocupação. A recomendação é colocar mesmo no papel.

Pegue um papel ou abra um arquivo de texto e explique exatamente o que está lhe preocupando. Quanto mais precisão, melhor. Tente ver os diferentes ângulos da questão, as implicações, o histórico etc. Em geral, um problema não pode ser superado sem ser primeiro identificado.

Em seguida tire um tempo para escrever pelo menos 3 possíveis soluções para o problema descrito. Seja criativo. Uma dica adicional: pesquise na Internet que já passou por algo similar. Anote tudo.

Estude seus planos e escolha o melhor deles, o que parece mais viável e executável. Tente então bolar um plano de ação. Veja qual é seu melhor curso de ação, passo a passo.

Ao colocar no papel, você tirou da cabeça boa parte da preocupação, literalmente. Ao bolar a solução possível, você saiu do medo, da incerteza, e agora ocupa sua mente com passos concretos que pode executar. Com isso, você reduz a incerteza e o sentimento de falta de controle.

A incerteza e a falta de controle minam seu bem-estar. Resolva isso tendo um plano de ação, de ações que você vai executar, ou seja, você traz para você a solução.

Essa etapa, dizia Dale Carnegie, reduz sua preocupação em 50%.

2ª Etapa

A segunda etapa é começar a implantar sua solução.

Qual o primeiro passo de seu plano? É executável? Ou precisa ser reduzido em passos menores?

Eu explico isso no livro “O Caminho 3T”, na seção de como introduzir novos hábitos na vida. Chamamos de “começo bebê”. Copio aqui o trecho relevante:

O maior problema de começar algo novo é justamente começar! Sim, o começo é sempre mais difícil, pois trata-se de algo novo e que ainda não faz parte da nossa vida. Do ponto de vista da neurociência, isso ativa nosso receio e nossa resistência. O que queremos é manter os hábitos atuais, ficar no automático. Sair do automático significa ter que usar uma outra parte de nosso cérebro, que requer energia adicional e esforço, o que chega, até mesmo, a aumentar os batimentos cardíacos, a pressão sanguínea, o tamanho da íris e causar outras mudanças fisiológicas. Isso tudo acontece, inclusive, além de nossa percepção. Não ficamos conscientes dessas mudanças. Mas o resultado final é simples: não gostamos de nos esforçar mentalmente! Portanto, fazer algo novo, criar um novo hábito é, de fato, um grande esforço mental.

Uma boa solução é facilitar o começo, ou seja, realizar um “começo bebê”. Qualquer começo é um grande passo. Então, a sugestão é reduzi-lo ao ponto do risível. Fazer tão, mas tão fácil o começo, que não tem como você se rebelar contra ele, mesmo que de modo inconsciente. Quanto mais resistência você sente, quanto mais você procrastina o início de alguma coisa, mais simples precisa ser este começo para superar o bloqueio.

Por exemplo, se quiser finalmente começar a se tornar vegetariano, mas nem sabe por onde começar, você pode determinar algo assim: amanhã, vou deixar de comer a última mordida de carne, peixe ou frango no meu prato. Pronto! Fácil, né? Só uma mordida a menos amanhã. Começou seu processo de se tornar vegetariano!

Está querendo organizar sua casa, mas não consegue? Então, escolha algo ridiculamente pequeno. Determine que vai organizar e manter organizado, mesmo que seja um metro quadrado do quarto ou meia prateleira da estante. E se isso for demais, simplifique ainda mais! Quer retomar uma prática de exercício regulada? Comece com a proposta de iniciar no dia seguinte, fazendo um agachamento. Só isso!

Para projetos maiores e mais complexos como, por exemplo, escrever um livro ou iniciar uma nova formação acadêmica ou profissional, você deve estabelecer etapas. E quanto menores elas forem, melhor. Outro exemplo: “amanhã vou dedicar cinco minutos do meu dia pesquisando no Google as opções do curso que quero”. Ou, se for seu livro, anotar cinco coisas que gostaria de incluir no livro. Siga desse modo, sempre dividindo em etapas, e a cada etapa vá dividindo o projeto em pequenos objetivos, que podem ser facilmente alcançados.

Ficou tão fácil que não tem como recusar! E, mentalmente, ficou registrado: “já comecei!”.

Ao iniciar seu plano de ação, você agora está firmemente no comando da situação. É você vivendo, superando o desafio. A bola está com você.

Esta 2ª etapa, dizia Dale Carnegie, reduz sua preocupação em mais 40%. Ou seja, 90% de sua preocupação agora terá se dissipado. E como resolver os últimos 10%?

3ª Etapa

Para superar os outros 10%, Dale enfatiza duas dicas práticas.

A primeira é aceitar o pior. Parece estranho, mas funciona. Quando estamos preocupados, ficamos temendo o futuro, temendo que algo ruim aconteça. Mas que tal já partir do ponto que o pior aconteceu? Pronto, não tem mais medo.

O medo é uma aflição fantasiosa sobre o futuro. A realidade nunca é perfeita. Mas sempre tem algo de bom. Se aceitarmos mentalmente que o pior que pode nos acontecer já aconteceu, desse ponto em diante nosso foco será positivo. O medo terá sido exposto e substituído por gratidão do que ainda lhe resta.

Perdeu o emprego? Bom ainda está vivo e cheio de saúde. Está doente? Mas ainda está vivo, pode recuperar sua saúde. Se separou? Pode viver ainda outro amor. Perdeu um ente querido? Pode valorizar os que ainda vivem.

Encarando o pior que pode acontecer e aceitando-o, você agora agirá na solução.

A segunda e última dica é idêntica àquela que sempre passo: foco no aqui e agora. Encare cada dia como um novo nascimento, uma nova chance na vida. Totalidade na ação. Foco em fazer seu melhor, aquilo que no yoga chamamos de dharma. Foco no dharma, na sua ação iluminada.

Se você viver seu melhor hoje, buscando a excelência em cumprir seus dharmas, o dia de amanhã se resolverá. O prazer está na boa consciência, no estado interno mental e espiritual, não na configuração externa da realidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *