Transferência Espontânea de Traços: O que é? E como isso afeta sua vida?

Aqui vamos explicar um termo da psicologia chamado “transferência espontânea de traços”, e como isso afeta a vida de todos. Vamos ver também o que você pode aprender com isso para aperfeiçoar seus relacionamentos pessoais e como melhorar a maneira como outros enxergam você no trabalho.

Veja aqui meu vídeo sobre este tema.

Quanto melhor entendemos os pilares básicos do comportamento humano, seja pela psicologia ou pela neurociência, melhor podemos moldar nossa vida. Evitamos nos desgastar ou sofrer inutilmente, aprimoramos nosso comportamento e maximizamos nosso desempenho na vida.

Por isso, sempre compartilho com meus alunos alguns desses “segredos” do comportamento humano já revelados pela ciência.

Aqui vamos falar sobre o fenômeno da transferência espontânea de traços. Um nome complicado para explicar algo que você vai reconhecer quase que de imediato. Em pouquíssimas palavras, significa: você é o que você fala. Mas não no sentido da neurolinguística, de você vibrar afirmações para desenvolver certas qualidades que quer adquirir. Estamos aqui falando no sentido social.

Não é que você vai se tornar o que você fala, nesse sentido, mas é o que as outras pessoas vão achar que você é baseado no que você fala.

Ou seja, as pessoas percebem em você os traços, as qualidades, que você está usando para descrever os outros.

Isso tudo acontece de forma inconsciente, além da razão.

Dessa forma, quando você elogia e destaca as boas qualidades de um outro, digamos um colega no trabalho, as pessoas inconscientemente começam a perceber essas qualidades em você.

Quando você fala que alguém e prestativo e dedicado, as pessoas vão pensar que você é prestativo e dedicado. Quando você elogia alguém por se preocupar com os colegas do trabalho e ser criativo, as pessoas vão inconscientemente associar você com essas qualidades.

Mas atenção, o contrário também se aplica. Quando você fala mal de alguém, por exemplo, chamando alguém de preguiçoso ou mentiroso, as pessoas vão alterar a imagem que tem de você imperceptivelmente no sentido de lhe achar também preguiçoso e mentiroso!

O terrível hábito de fazer intriga, falar mal do outros, assim, é um tiro no pé. Você faz achando que vai atrapalhar o outro, mas vai sujando sua imagem no processo. Temos o hábito de falar mal dos outros num processo mal pensado de querer se sentir melhor diminuindo o outro.

Aqui neste vídeo eu compartilho evidência científicas mostrando o que acontece quando nos comparamos com os outros, e explica nosso desejo, mesmo que inconsciente, de querer diminuir os outros para se sentir melhor.

O mesmo sentimento que nos leva a falar mal dos outros, para se sentir superior, nos faz segurar os elogios. Parece que ficamos com receio de mostrar as boas qualidades dos outros. Não queremos ajudar o outro. Uma espécie de falta de generosidade, de avareza existencial.

A conhecimento da transferência espontânea de traços pode nos ajudar a superar esse engano. Podemos nos convencer que de fato é diretamente benéfico a nós mesmos ajudar e elogiar os outros.

É um fato que nos sentimos bem ajudando os outros. Há inúmeras pesquisas científicas mostrando isso. E a transferência espontânea de traços vai fazer com que as pessoas nos veem de forma melhor ao mesmo tempo. Assim, você tem tudo a ganhar sendo generoso e apoiando os outros, especialmente no ambiente de trabalho.

Outro aprendizado que se tira dos estudos da transferência espontânea de traços é que não é bom você ficar se desculpando demais, se diminuindo. Talvez você seja uma dessas pessoas que fazem isso. Ficam se rebaixando, numa espécie de autocrítica extrema, que nasce do desejo de mostrar humildade ou evitar confrontos, ou até mesmo de precaver críticas vindo dos outros. – Deixe eu me criticar primeiro, antes que outros me critiquem.

Mas, de fato, não ajuda. Primeiro, é muito ruim ser duro e se criticar. Isso atrapalha seu crescimento, lhe prende na sua zona de conforto e baixa sua autoestima. Eu explico isso aqui neste vídeo.

Segundo, as pessoas realmente vão pensar menos de você, porque ao se criticar, haverá a transferência de traços de você falando mal de você mesmo.

Então, escolha muito bem suas palavras e a forma como se expressa. O que você diz afeta o que os outros pensam de você. E, claro, define que tipo de pessoa que você é. Você é uma pessoa generosa, que gosta de elogiar os outros, ou uma pessoa que gosta de fofoca e de detonar os outros? Qual desses dois tipos você gostaria de ter perto de você? Você decide.

Uma ideia sobre “Transferência Espontânea de Traços: O que é? E como isso afeta sua vida?

  • 08/05/2020 às 21:23
    Permalink

    Realmente, à gente tem essa mania de se comparar com o outro, é de um modo geral acabamos nos machucando emocionalmente, quando vemos que não precisamos nos comparar com ninguém, para sermos felizes, simplesmente, sermos nós mesmos. Gratidão.

    Responder

Deixe uma resposta para Sebastião Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *