Técnica de Cura Emocional “Lave, Enxágue e Repita”

Aqui vamos passar uma técnica de cura emocional bem simples e fácil de fazer, que lhe ajudará a manter sua cura emocional em dia.

Veja aqui meu vídeo sobre este tema.

A vida não é fácil e vamos sempre esbarrando uns aos outros, com palavras mal pensadas, situações ruins e relacionamentos tumultuados.

Preocupado em ser aceito, em não ser expulso de nossa “tribo”, a mente humana se desenvolveu com uma sensibilidade muito grande a tudo que parece ser emocionalmente mal resolvido.

Por isso enfatizo tanto a importância da cura emocional diária e passo muitas técnicas de cura diferentes. Entenda mais porque a cura emocional é importante neste artigo e vídeo: http://giridhari.com.br/ensinamentos/a-importancia-da-cura-emocional-diaria/.

Aqui vou explicar uma técnica bem simples, que chamo de Técnica “Lave, Enxágue e Repita” que eu utilizo muito em minha vida e que traz os conceitos básicos por trás de toda cura emocional.

Devemos entender que toda emoção não resolvida precisa, acima de tudo, de ser simplesmente reconhecida. O que não podemos permitir é que a emoção fica enterrada ou ignorada.

Uma emoção não resolvida, as pesquisas mostram, traz consequências imprevisíveis e destrutivas.

Então o primeiro passo é simplesmente reconhecer a emoção. Eu brinco que temos que fazer um B.O. completo. Quando foi? Com quem? Aonde? O que sentiu exatamente? Quanto mais detalhes melhor.

Aí simplesmente traga a luz de sua consciência ao assunto. Dê atenção consciente por uns minutos a emoção e seus detalhes. Lave a emoção com sua atenção consciente.

Tendo feito isso, deixe a emoção ir embora. Este é um ponto chave. Ignorar emoções é perigoso. Mas é bem danoso também ficar mastigando emoções, ruminando, agarrado nelas. Não queremos nem uma coisa nem outra. Queremos o equilíbrio, o caminho do meio, de reconhecer a emoção, mas também de deixá-la ir embora.

Dê um passo para trás. Torne-se o observador. A emoção não é você. Com isso o sentimento perde o poder de lhe influenciar.

Então esta é a fase “enxágue” do processo. Retire a emoção da mente.

Eu gosto muito da imagem mental de estar sentado a beira de um rio manso, vendo a correnteza levar as coisas rio abaixo. A mente é como um rio. Nós, almas, estamos sempre vivendo, sempre fluindo. Nossa energia de vida, nossa consciência, nunca cessa. Portanto, não devemos nos apegar aos pensamentos ou emoções, pois não somos eles.

Pequenas questões emocionais passam com apenas uma rodada desses dois passos. Mas há outras que precisam de mais atenção.

Você verá que aquela mesma questão voltará à tona. Você já tem o B.O. da situação, então já sabe bem do que se trata. Você então analise a emoção novamente, tenta ver porque está voltando, se tem outras questões ligadas a elas que precisa desvendar. Talvez seja uma situação recorrente, ou um sintoma de algo que lhe incomoda há muito tempo e que você precisa desenterrar.

Esta é a fase “repita” do processo. Você repete o processo de lavar e enxaguar.

Se voltar de novo, repita novamente.

Verá que a emoção vai se dissipar por completo no devido tempo. Se lembrar da situação, será apenas como um registro histórico, já desprovido de carga emocional. Não mais causará qualquer mudança fisiológica em você o assunto.

Resumindo: Lave a emoção com a luz de sua consciência, primeiro identificando-a cuidadosamente. Depois enxágue, deixando-a fluir, se desidentificando da emoção. Por último, repita se a emoção não tiver sido curada ainda, até que se dissipe por completo.

É uma técnica simples e eficaz. Experimente. E, lembre-se: mantenha a cura emocional diária. Não deixe nenhuma ferida emocional passar em branco. É muito mais fácil lidar com as emoções “fresquinhas” do que com seus esqueletos enterrados assombrando nosso inconsciente.

Uma ideia sobre “Técnica de Cura Emocional “Lave, Enxágue e Repita”

  • 14/01/2020 às 17:18
    Permalink

    Fazer esse exercício diário torna-lo um habito mental, é como cuidar de um jardim para mante-lo com flores, frutos, livre de pragas sereno e limpo como nossa alma deve ser. Gratidão Giri por semear sementes em nosso jardim.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *