OS PERIGOS DA MEDITAÇÃO

Meditação é tudo de bom, mas há também perigos. Por melhor que algo seja na vida, sempre há riscos. Vamos ver aqui os possíveis riscos da meditação para evitá-los e ter uma prática saudável.

Veja aqui meu vídeo sobre este tema.

Você certamente deve meditar. Milhares e milhares de pesquisas comprovam sua eficácia e efeito positivo na vida. Praticantes compartilham seus efeitos maravilhosos há milênios.

Mas é importante fica ciente de possíveis problemas que podem surgir na prática de meditação, especialmente quando é feita de maneira errada, ou fora de um contexto maior de compreensão e evolução da consciência.

O primeiro tipo de problema reportado é de natureza puramente física e incluem cansaço, tontura e dor de cabeça. Muitas vezes isso tem a ver com a má respiração no ato de meditar, ou uma postura malfeita ou inconfortável por falta de prática.

Outra reclamação mais comum são sentimentos ruins, emoções desagradáveis. Isso é perfeitamente compreensível. Meditação, afinal, é normalmente prática introduzida na vida daqueles que finalmente decidiram encarar seu eu interior, depois de muito tempo desprezando-o.

Imagine que você ficou no desleixo e não limpa sua casa tem meses. Quando finalmente for limpar a casa, não vai ser moleza, né? Vai ter coisa muito encardida, fedida e feia saindo da casa. Com nossa mente é assim também.

Ainda mais desagradáveis são os sentimentos de depressão e desmotivação que surgem em raros casos em alguns praticantes. Isso acontece porque no processo de despertar há uma profunda mudança de visão da vida. Começamos a enxergar uma outra realidade, antes ignorada, só que mais profunda e real. Isso faz com que a vida mundana se mostre pelo aquilo que ela é, uma sequência efêmera de ações que, na superfície, não fazem sentido ou satisfazem o “eu”.

Sem compreender como conectar o dia-a-dia a alma, compreensivelmente pode-se criar uma sensação de tristeza, de estar perdido, e, por isso, perder a motivação para agir num teatro aparentemente sem sentido.

Essa sensação de ter descoberto, mesmo que inconscientemente, outra realidade, às vezes leva a um sentimento ainda mais forte, de quebra com a realidade.  Cria-se uma sensação de estar desconectado com a realidade, como que perdido na existência, algo equivalente a estar flutuando à deriva no espaço.

O yoga alerta que esta não é a realidade última. Como exemplificado no filme clássico “Matrix”, a filosofia do yoga deixa claro que tem uma outra realidade superior, a ser descoberta pelo yogi.

E aí que chegamos num ponto importante. Quem já entra neste mundo da meditação armado destes conhecimentos acima citados e outro mais, reduz enormemente ou elimina as chances de experimentar estes sintomas negativos.

Viajar é tudo de bom. Mas viajar sem noção alguma do que vai encontrar pode ser bastante desagradável e até perigoso.

Quando vamos iniciar esta viagem para nosso eu interior, devemos nos armar de todo conhecimento possível. Devemos ir acompanhado de um guia experiente, o guru, que nos prepara para o que vamos encontrar.

E meditação não existe num vácuo. Sempre enfatizo este ponto. Meditação é uma de várias ferramentas poderosas dentro de um contexto muito maior. É importante entender o caminho todo e avançar nos diferentes campos de perfeição simultaneamente.

Mais do que isso, o tipo de meditação a ser praticada também altera muito a experiência e os resultados. Uma meditação muito vazia, sem foco, pode acentuar os sentimentos de oco, de desmotivação e de quebra com a realidade. Já a meditação que eu ensino, a meditação mântrica (japa), tem um foco bem específico, um significado, que ajuda a direcionar a mente para a transcendência de forma doce e segura.

Recomendo que você aprenda o processo completo e seguro de praticar meditação e avançar no caminho de auto-aprimoramento e autorrealização. Busque um conhecimento holístico das mudanças que deve esperar e as diferentes práticas para fazer isso acontecer de forma suave e gradual. Foi isso que tentei colocar no livro “O Caminho 3T” (www.3T.org.br) e talvez seja por isso que já recebi inúmeros testemunhos de avanços com transformações positivas, e nunca um relato deste tipo de problema.

 

Veja o que estão falando do livro “O Caminho 3T”: “As portas da felicidade se abriram, num lindo e espontâneo movimento. Foi e está sendo uma experiência incrível! Tenho muita gratidão por ter encontrado seu livro e seus ensinamentos. Você faz um trabalho lindo, que seja sempre abençoado!” – Natália Arnold

12 ideias sobre “OS PERIGOS DA MEDITAÇÃO

  • 01/05/2019 às 23:56
    Permalink

    Estou vendo os vídeos e Estou encantada.

    Responder
      • 31/08/2019 às 11:35
        Permalink

        Bom dia há 2 meses faço meditação guiado baixei um áudio do YouTube, sinto que a prática tem me deixado mais calma, porém tenho tido muita tontura quando me levanto ou fico muito tempo com a cabeça abaixada isso tem alguma ligação?

        Responder
        • 06/09/2019 às 15:38
          Permalink

          Pode ser a maneira como está respirando, ou mesmo a cabeça para baixo. Deve manter o pescoço ereto, cabeça erguida e respirar normalmente.

          Responder
  • 28/05/2019 às 10:51
    Permalink

    Bom dia! Obrigada pelos ensinamentos, estou sempre acompanhando seus videos e tem me ajudado muito.
    Gostaria de saber qual o melhor horário para meditar e Pq?
    As vezes medito antes de ir para academia. Mas tenho receio de perder o contexto espiritual e a sensaçao de calmaria devido a fazer algo tão tranquilo e na sequência a agitação de uma academia, com músicas altas etc……

    Responder
    • 28/05/2019 às 11:40
      Permalink

      O ideal é cedinho, logo depois de acordar e tomar banho. Mas pode fazer como puder, quando puder. O importante é fazer todos os dias. De preferências, 20 minutos por dia.

      Responder
  • 11/06/2019 às 14:37
    Permalink

    Ótima explicação. Eu meditei alguns dias atrás e me senti muito aérea, ainda estou um pouco, é uma sensação muito ruim. Isso dura muito tempo? Obrigada por explicar, isso me acalmou mais kk

    Responder
    • 11/06/2019 às 15:44
      Permalink

      Você não deve sentir isso. Portanto, é bom ajustar a prática já agora. Tente seguir as dicas de meditação mântrica que passo no livro “O Caminho 3T” – http://www.3T.org.br.

      Responder
  • 17/08/2019 às 22:50
    Permalink

    Comecei a meditar a pouco tempo, porém, encontrei problemas pelo caminho. Não sei se foi o excesso, porém desenvolvi episódios de pânico, um tanto quanto recorrentes. Agora, a calmaria da meditação, aquele estado de relaxante, próximo ao que experimento antes de dormir, me apavora. É um estado de medo auto excitado. A pressão fica descontrolada, as mãos ficam frias, e uma agonia que vem em ondas me persegue. Para falar a verdade, eu nem sabia que existiam estados como o de surgir e desaparecer que causam um desconforto “insuportável”. Por isso abandonei a meditação, acho que não é recomendada para mim, mas sei que talvez eu tenha feito errado e sem um propósito, alimentando o oco que existe em mim, talvez sejam reações da mente frente a tentativa de domínio (pois a mente não gosta de ser observada). O que posso dizer é que não é fácil avançar, para alguns a noite escura é muito longa. PS: obrigado pela explicação, realmente ajudou a compreender.

    Responder
    • 24/08/2019 às 18:51
      Permalink

      Sim, vá com calma. Mas não desista. Experimente fazer o pacote completo, como eu passo aqui, O Caminho 3T. Faça o Curso Online https://caminho3t.com.br/ e veja se sua vida não muda e tudo faz mais sentido. Tem 30 dias de garantia. Se nada mudar, nada melhorar, cancele e receba 100% de seu investimento de volta. Zero risco. Você tem tudo a ganhar e nada a perder.

      Responder
  • 16/09/2019 às 15:34
    Permalink

    Oi Giridhari Das; tudo bem? Faz uma semana que comecei e durante este tempo, sempre que termino a meditação, minha perna esquerda fica muito dormente durante uns dois minutos e eu não consigo sentir nada. Tento firmá-la no chão e não funciona. Há dois dias foi pior porque meu pé ficou mole, muito mole. Eu balancei minha perna e meu pé parecia não funcionar mais, ele não respondia comando nenhum. Fiquei com medo, mas mantive a calma para não piorar, apenas tentei me concentrar que estava tudo bem. Depois de uns 2 minutos eu comecei a sentir meu pé novamente. Agora, preciso entender o porque disso. Hoje aconteceu novamente, mas foi mais leve. Há algum risco de perder algum movimento? Isso é normal? Por que isso acontece? Grande abraço.

    Responder
    • 20/09/2019 às 12:39
      Permalink

      Sim, você só precisa mais almofadas. Está cortando a circulação da perna. Experimente meditar sentada na cama, elevando o bumbum com travesseiros.

      Responder

Deixe uma resposta para Giri Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *