Como Lidar com Pessoas Que Pensam Diferente, de Baixa Vibração

O convívio não é fácil para ninguém. Mas quando iniciamos nosso despertar, e começamos a valorizar nossa paz, fica especialmente difícil lidar com pessoas que pensam diferente, com baixa vibração. Como lidar com isso?

Veja aqui meu vídeo sobre este tema.

Recebo esta pergunta regularmente. Como lidar com pessoas que estão “em outra”, com baixa vibração, desinteressadas em serem melhores ou em agir bem? Pessoas no trabalho, certamente, mas amigos e família também.

O ponto central, eu explico, é sempre trazer o foco para você. Se ficarmos nos preocupando com os outros, ficamos loucos. Mal conseguimos controlar o que fazemos, de que adianta ficar esperando que os outros se comportem bem?

Nossa mente prefere julgar o outro. Cuidar do que fazemos é mais difícil e bem menos agradável. Mas o caminho da felicidade é trazer o foco para seu aprimoramento e autorrealização.

Então o primeiro passo é o esforço de trazer o foco de volta para onde realmente importa, que é você. “Como estou agindo?”, “Qual é o padrão vibratório de minha mente?”, “O que estou falando?”.

Desse ponto em diante a questão se torna prática e, melhor ainda, totalmente sob seu controle: como eu vou ser a melhor pessoa possível diante desta provação, desta pessoa difícil, que não pensa como eu, com baixa vibração?

Sua preocupação agora não é julgar o outro, nem se espantar com o fato que outro é assim ou assado. Agora é mais simples: “eu estou sendo testado, como devo reagir na luz?”.

Não é nada fácil. É chato, é difícil. Poder ser até insuportável. As pessoas não se cuidam, estão cheias de pensamentos baixos, comem mal, dormem mal, espiritualmente adormecidas, iludidas e cansadas. Naturalmente, este lixo tóxico se acumula e vaza por onde passam.

Se for um ambiente específico, uma pessoa específica, você deve até pensar: “até que ponto preciso tolerar isso?”. E traçar limites para a situação e pensar em possíveis saídas. Abordo este assunto em outros textos e vídeos.

Mas, enquanto não é evitável, o jeito é encarar. Cabe a você trazer luz para a situação. Cercado de baixa vibração, é você que tem que elevar a vibração. Ao se deparar com negatividade, é você que precisa responder de forma positiva. Num ambiente de trabalho que falta foco no dharma, no fazer o melhor, é você que precisa dar o exemplo.

Pesquisas mostram que reagimos, inconscientemente, ao humor dos outros e de forma muito rápida. Se tem uma reunião acontecendo, e todos estão bem, basta chegar uma pessoa em péssima condição mental, ansiosa, mal-humorada e chata, para mudar o astral em segundos. Então, nessa situação, alguém terá que reerguer a vibração. Você!

Por que você? Porque você está compromissado com a luz. Você está aí se cuidando, trilhando o caminho de auto-aprimoramento e autorrealização, o Caminho 3T. Você está com as ferramentas e técnicas para elevar sua consciência. Você tem o crescente poder de pacificar e direcionar sua mente para o dharma, o bem e a luz. Você, portanto, tem a força e a chance de mudar as coisas para melhor.

Essas situações, portanto, são exercícios. Uma academia de iluminação. A chance de testar e refinar sua habilidade de ser melhor. Vai conseguir? Nem sempre. Então não se esqueça de uma poderosa ferramenta: autoperdão – veja aqui!

E se você quiser ficar cada vez mais fortalecido, não deixe de continuar a cultivar seu “eu”, com as dicas sistemáticas contidas no livro “O Caminho 3T” (www.3T.org.br).

 

Veja o que estão falando do livro “O Caminho 3T”: “Não tenho palavras para descrever os benefícios que obtive com a leitura do livro, simplesmente extraordinário!! Um divisor de águas em minha vida!!!” – Pablo Gonçalves

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *