Como Fazer de Seu Trabalho Uma Oferenda a Deus

Krishna faz este pedido simples na Bhagavad-gita: “O que quer que você faça, faça como uma oferenda a Mim”. Como então fazer do trabalho uma oferenda a Deus?

Oferenda

Basicamente, há duas possibilidades: 1) Deus existe e 2) Deus não existe.

Se Deus não existe, o conceito de alma faz pouco sentido. Como poderia haver almas eternas, individuais e transcendentes, mas não haver uma fonte para elas? Então, se não existem almas, os ateístas estavam certos e somos meros subprodutos do acaso; somos, de alguma forma, uma combinação de matéria que anda e pensa. Após a morte, não há nada. Apenas matéria sendo reciclada. Amor, justiça, liberdade, alegria… tudo ilusão. Apenas neurônios se comunicando se uma maneira específica. Se você acredita nisso, realmente acredita nisso, por que viver? A vida não faz sentido, não tem propósito, não tem significado – então, por que se dar ao trabalho de viver? Infelizmente, algumas pessoas deram cabo de suas vidas ao chegarem a essa conclusão desagradável. Por sorte, trata-se de uma visão de vida profundamente equivocada.

Se Deus existe, tudo e todos, por definição, vêm dEle. Ou, utilizando a terminologia do yoga, tudo e todos são Sua energia. Nada em relação a você, nem mesmo seu próprio eu, e certamente nada em sua vida, existiria se não fosse por Deus. Portanto, tudo e todos vêm de Deus e, em última instância, pertencem a Deus. Como resultado, você só pode se sentir perfeitamente satisfeito e alinhado com seu verdadeiro eu quando você faz da sua vida uma oferenda a Deus.

O conceito de oferenda é um componente-chave na tradição do yoga. A palavra sânscrita para isso é yajna. Yajna é um aspecto necessário de amor e serviço. Quando você está ocupado em serviço devocional, seja em relação ao esposo, a um filho, ao padrão, à comunidade ou a um cachorro, você está oferecendo seu tempo e sua energia, em virtude do que você está oferecendo uma parte de sua vida. O conceito de tornar sua vida uma oferenda é desejável, porque isso significa que você está agindo com amor. É o contrário de ser egoísta e desperdiçar seu tempo.

Contudo, uma vez que a esposa, os filhos, o patrão, a comunidade, o animal de estimação e tudo e todos têm uma conexão íntima com Deus, você pode fazer de qualquer serviço devocional, a qualquer um ou a qualquer causa nobre, uma oferenda a Deus. Tornar sua vida uma oferenda a Deus não significa se tornar um monge ou sacerdote. Significa cumprir seu dharma; em outras palavras, viver sua vida ao máximo, como uma oferenda a Deus. Krishna faz este pedido simples na Bhagavad-gita: “O que quer que você faça, faça como uma oferenda a Mim”.

A diferença está na sua consciência, em sua mente. Agir ignorante de Deus é não compreender a dimensão final e o propósito derradeiro da vida. Viver e fazer de cada ato dhármico uma oferenda a Deus é se tornar completamente lúcido e completamente ciente da realidade.

E visto que uma oferenda é um sinal de amor, você, por tornar sua vida uma oferenda a Deus, pode experimentar o amor em dobro: por cumprir seu dharma com amor – cuidar do seu filho com amor, trabalhar com amor, ser um membro amável de sua comunidade, país e planeta, etc. – e por entender e internalizar sua conexão amorosa com Deus (bhakti) em tudo que você faz. Essa é a perfeição da vida.

Veja aqui meu vídeo sobre como fazer de seu trabalho uma oferenda a Deus.

4 ideias sobre “Como Fazer de Seu Trabalho Uma Oferenda a Deus

  • 19/01/2017 às 02:10
    Permalink

    Não acho que bhakti seja um estado mental. Bhakti é o estado natural da alma; nesse estado, a mente está naturalmente controlada. Nada para mim, tudo para Krishna! Humildemente, Vijaya

    Responder
    • 19/01/2017 às 08:53
      Permalink

      Sim, é o estado natural da alma. Usei aqui “mental” no sentido da experiência do sentido. De ter um estado de consciência que permite experimentar e sentir a devoção natural da alma.

      Responder
      • 19/01/2017 às 12:07
        Permalink

        Por onde começar, então? Treinando a mente ou ocupando a alma? Os acharias dizem que a mente não é importante. O que importa é a alma estar ocupada em serviço espiritual. Se assim for, a mente estará naturalmente engajada. No seu método, voce dá prioridade a que parte do ser? Mente ou alma? Esperando resposta, Vijaya

        Responder
        • 19/01/2017 às 12:39
          Permalink

          Todo o caminho do yoga é centrado na mente. Krishna fala vezes e mais vezes “mente e inteligência fixas em Mim”. Krishna diz “sua mente por ser seu melhor amigo ou seu pior inimigo”, e assim por diante. Todo o processo se dá como direcionamos nossa mente. Não tem como direcionar “alma”. Alma é você. E você fará o que está em sua mente. Se sua mente está em Krishna, você agirá para Krishna, em perfeita sintonia com seu verdadeiro eu (alma). Se sua mente está buscando prazer no mundo material, seu eu estarei vivendo esta ilusão, em desarmonia com seu verdadeiro eu (alma). Estar “consciente de Krishna” significa estar com Krishna na mente, para então naturalmente agir para Krishna e experimentar amor por Ele.

          Responder

Deixe uma resposta para Vijaya Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *