Brahma, Vishnu e Shiva: A Trindade Hindu?

Muitos perguntam se existe uma Trindade Hindu, formada por Brahma, Vishnu e Shiva. Quem são esses Deuses? Descubra aqui.

na esquerda, Brahma, no centro Vishnu e na direita, Shiva

Krishna é a Suprema Personalidade de Deus, a Verdade Absoluta, a fonte de tudo, a causa de todas as causas. Krishna se expande em ilimitadas formas, porém Ele mantém sempre Sua forma original como Krishna, no mundo espiritual. Todas Suas expansões são sac-cid-ananda, ou seja, são formas de eterna bem-aventurança e conhecimento, 100% espiritual. Todos seres vivos, no mundo espiritual e no mundo material, são uma energia Sua, são almas, ou jivas em Sânscrito.

Os jivas são eternamente parte e parcelas de Deus, de Krishna. São eternamente subordinados a Ele, servos amorosos dEle. Nesse mundo material alguns jivas, devido a seu acumulo de créditos piedosos (bom karma), recebem a posição de semideuses, ajudando Krishna a administrar a criação material, durante certo tempo. É claro que Krishna não precisa de ajuda alguma, mas para satisfazer o desejo desses jivas, Ele faz esses arranjos e os ocupa em Seu serviço dessa forma.

Os semideuses são, portanto, mortais e depois de morrer terão que aceitar um corpo mais baixo, tendo consumido seu crédito piedosos, a não ser que consigam se tornar devotos de Krishna e assim voltar ao lar, voltar ao Supremo. Vishnu é Deus, não é um semideus.

Entre os semideuses, os mais poderosos e importantes são Brahma e Shiva.

Existem três gunas: sattva, rajas e tamas. Esses gunas são os tijolos da energia material como um todo. Também são categorias de maneiras como a energia material influencia a mente e, consequentemente, a qualidade de sua vida. Os gunas afetam todo aspecto de sua vida, incluindo: sua felicidade, sua determinação, sua maneira de falar, suas escolhas alimentares, sua clareza mental, sua habilidade de discernir o bom do ruim, o certo do errado, no que você tem fé e até mesmo seu destino futuro caso você renasça. É essencial, portanto, cultivar cuidadosamente a influência dos gunas em sua vida. Dr. David Frawley, em seu ensaio “Os Três Gunas: Como Equilibrar Sua Consciência”, descreve muito bem, embora sucintamente, cada guna:

  1. Sattva: “Sattva é a qualidade da inteligência, da virtude e da bondade e cria harmonia, equilíbrio e estabilidade. É leve e luminoso por natureza. Possui movimentação para dentro e para fora e suscita o despertar da alma. Sattva provê felicidade e satisfação de uma natureza duradoura. É o princípio de clareza, amplidão e paz, a força do amor que une todas as coisas”.
  2. Rajas: “Rajas é a qualidade de mudança, atividade e turbulência. Produz um desequilíbrio que desconcerta um equilíbrio existente. Rajas é motivado em sua ação, sempre buscando uma meta ou um fim que lhe dê poder. Possui movimento para fora e causa ações de interesses pessoais que levam a fragmentações e desintegrações. Enquanto, a curto prazo, rajas é estimulante e confere prazer, rajas, devido à sua natureza desequilibrada, rapidamente resulta em dor e sofrimento. É a força da paixão que causa aflição e conflito”.
  3. Tamas: “Tamas é a qualidade de estagnação, escuridão e inércia, é pesado, encobridor e obstrutor em sua ação. Funciona como a força da gravidade que retarda coisas e as segura em formas limitadas específicas. Possui um movimento para baixo que causa decadência e desintegração. Tamas traz ignorância e ilusão na mente e promove insensibilidade, dono e perda de percepção. É o princípio da materialidade ou da inconsciência que faz a autopercepção ser encoberta”

Vishnu é o guna-avatara de Krishna, do modo da bondade. Vishnu é não diferente de Krishna, porém, é uma expansão Sua.

Brahma é um jiva como eu e você normalmente, porém as vezes, na falta de alguém qualificado, Krishna mesmo ocupa o posto em uma de Suas expansões. Brahma fica responsável por toda a criação material e depois permanece como que um gerente-geral do Universo, cuidando dos afazeres universais durante sua duração de 111 trilhões de anos. Brahma é a personificação de raja-guna, ou o guna-avatara deste modo da natureza material que é responsável pela ação e criação.

Shiva não é um jiva comum. Nas escrituras ele é descrito como sendo mais do que um jiva e menos do que Deus. A comparação que se faz é que da mesma forma que leite e iogurte são iguais, mas ao tempo diferentes, assim também é o caso de Deus e Shiva. Esse é um assunto um tanto técnico, porém o importante é compreender que Shiva não é igual a Krishna, mas sim Seu maior devoto do universo, constantemente meditando nEle e desejando Lhe servir. Shiva é a personificação de tamo-guna, ou o guna-avatara deste modo da natureza que é responsável pela entropia, a destruição de tudo.

Assim, no sentido destes três, Vishnu, Brahma e Shiva, serem os três representantes dos três modos da natureza, aí sim podemos falar em “trindade hindu”. Mas não há qualquer relação explícita entre eles e o conceito da Trindade Cristã.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *