A Regra de OURO de Mudança de Hábitos

Aqui vou compartilhar uma metodologia poderosa para eliminar os maus hábitos de sua vida. Vamos ver como é possível substituir de forma relativamente fácil aqueles comportamentos que estão piorando sua saúde e qualidade de vida, sem precisar de depender apenas de sua força de vontade.

Veja aqui meu vídeo sobre este tema.

As dicas vêm do best-seller de Charles Duhigg, O Poder do Hábito. Aqui vamos ver como podemos manter o impulso, manter o resultado, mas mudar a rotina de nossos hábitos. Vamos ver como o fumante não precisa do cigarro para conseguir os resultados de fumar um cigarro e como não precisamos de doces para conseguir o resultado de comer um doce. Como assim? Continue lendo!

A técnica se dá em três passos.

Passo 1: Repensar o resultado

A grande sacada de Charles Duhigg foi analisar nossos comportamentos em três etapas: estímulo, a ação em si, e o resultado.

Por exemplo, o hábito de fumar. Acontece que muitos fazem não pela nicotina, mas pelo aspecto social ou para fugir de sua ansiedade. Ou seja, o resultado que se deseja ao fumar, não é o cigarro em si, a nicotina. O fumante não precisa do cigarro para conseguir os resultados que realmente busca.

Assim também você não precisa do telefone para satisfazer o desejo de olhar o telefone ou de um doce para satisfazer seu desejo pelo doce.

Analisando mais cuidadosamente, ele diz que há dois grandes objetivos por trás de qualquer hábito ruim: estímulo e alívio mental.

Ao comer um doce ou olhar para seu telefone, talvez o que você realmente queira é um estímulo, que você conseguiria sentando e tomando um chá herbal ou fazendo um pouco de exercício.

Ou talvez seja um alívio mental do estresse, para relaxar. Então poderia caminhar um pouco ouvindo uma música que gosta.

Em geral, o que buscamos são essas duas coisas: estímulo ou um alívio mental.

Um estudo da Universidade de Virginia quis ver o tanto que desejamos um estímulo.

Os participantes do estudo precisavam ficar sentados, sozinhos, num quarto vazio, por 15 minutos.

A única coisa no quarto era uma máquina que podia dar um choque elétrico razoavelmente doloroso nos participantes.

65% dos homens e 25% das mulheres optaram por se dar choques vezes e mais vezes. (O que isso diz sobre homens eu não sei dizer!)

Conclusão dos pesquisadores: “as pessoas preferem fazer algo do que fazer nada, mesmo que este algo seja negativo”.

Sabemos que podemos perder valioso tempo no YouTube, Twitter, TikTok, mas fazemos mesmo assim na busca de estímulo.

Assim, sabendo que aquilo que realmente buscamos é o estímulo, podemos agora buscar alternativas mais saudáveis, com isso vamos para a segunda etapa do processo.

Passo 2: Testar Novas Rotinas

Sempre que surge o estímulo que lhe leva aquela ação ruim que quer modificar, o mau hábito, você deve praticar mindfulness e perceber, até mesmo registrar as seguintes informações:

  1. Onde estou?
  2. Que horas são?
  3. Qual meu estado emocional?
  4. O que estou fazendo?

A ideia aqui é realmente ir fundo para entender o que está causando o estímulo do mau hábito. Entendendo bem a causa, você pode melhor entender o que realmente busca como resultado. Ou seja, o que realmente está querendo e precisando.

Com estas informações, aí você pode testar novas rotinas e ver quais satisfazem em resposta aqueles estímulos, ou seja, qual resultado realmente estava buscando para aquele estímulo.

Alívio mental? Estímulo físico? Socialização?

Então, teste diferentes rotinas e veja qual é a melhor. Teste diferentes respostas para ver qual vai satisfazer você ao invés daquele mau hábito.

Insira agora esta nova rotina, quando tiver aquele velho estímulo. Ao invés de fumar o cigarro, busque um alívio mental puxando uma conversa com alguém, ou fazendo uma meditação. Ao invés de comer o doce, veja se um pouco de exercício vai lhe dar o estímulo que buscava. Assim.

Passo 3: Escreva Seus Planos

Querer fazer algo não é sempre suficiente. Pesquisas mostram que escrever com detalhes como será feito, ser específico, traz resultados muito melhores. Isso vale para tudo na sua vida, mas ele recomenda que seja usado aqui também, para mudar o hábito indesejado.

Pensar “quero meditar” é uma coisa. Escrever “vou meditar 6h30 da manhã, depois do meu banho, naquela almofada, durante 20 minutos, usando a técnica de japa do professor Giridhari”, é outra.  A precisão do plano diminui a margem de fracasso, retira o elemento “enrolação” da atividade proposta.

Em específico, o formato que ele propõe para esta técnica é o seguinte. Escreva assim:

“Quando eu ___ aí insira aqui seu velho desejo, eu vou ___ insira aqui a nova rotina,  para experimentar ____ o velho resultado”.

Resumo

Ao invés de lutar com apenas sua força de desejo, seja curioso.

  1. Investigue o desejo, procurando o resultado que realmente quer.
  2. Ache novas rotinas em resposta ao desejo, que são positivas e lhe trarão o mesmo resultado.
  3. Escreva seus planos para colocar estas novas rotinas em prática.

E logo isso vai virar um hábito automático e saudável. Com isso você pode ir tirando da sua vida aqueles maus hábitos que estão danificando sua saúde e desperdiçando seu precioso tempo.

Se quiser conhecer outras técnicas poderosas para introduzir ou mudar seus hábitos na vida, veja esta série de vídeos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *